terça-feira, 30 de outubro de 2012

Segundo IBGE, mulheres com maior nível de escolaridade têm menos filhos

G1
 
30/10/2012
Uma pesquisa do IBGE revelou o número de mulheres que são mães no Maranhão. Pelos dados da pesquisa, quanto maior o nível de escolaridade, menos filhos a mulher decide ter. A pesquisa mostra ainda o grande o número de mulheres que se tornam mães sem a ajuda financeira dos companheiros.

De acordo com a pesquisa, das 1.000.637 mães em todo o Maranhão, 973 mil não têm o ensino fundamental completo. Já as que têm o nível superior no Estado somam a quantidade de 78.870. O senso realizado apenas na capital maranhense mostra que 84.595 mães têm o ensino fundamental incompleto e que mães com o nível superior somam a quantidade de 28.497.

Graça Lima, especialista de uma Organização Não Governamental que atua na promoção dos direitos sociais, sexuais e reprodutivos acredita que os números do IBGE relacionados às mães com menor grau de escolaridade estejam relacionados com a falta de acesso aos métodos contraceptivos. “Elas têm menos informação e a informação e a educação são aliadas importantes para que a gente faça as escolhas livres, escolhas informadas. Isso faz com que as mulheres com um grau maior de escolaridade e também com a renda, que é um fator importante, posterguem mais seus filhos e que diminua, consideravelmente, a taxa de fecundidade”, afirma ela.

A jornalista Carla Lima decidiu esperar a consolidação no emprego para ter o primeiro filho, evento que aconteceu aos seus 30 anos. “Eu precisava me realizar profissionalmente, me estabilizar, curtir minha vida de solteira também, porque quando você trabalha, começa a ganhar dinheiro, você quer viajar, comprar coisas, então tudo isso pra depois falar ‘não, agora é o momento de eu ter o meu bebê, botar uma criatura no mundo e dar o melhor possível pra ela’”, explica ela. Carla também afirma que pretende continuar apenas com um filho: “Por questões financeiras e também profissionais, já que eu trabalho muito, das 7h às 20h, 21h, então eu preciso ter como me dedicar a essa criança”.

Outro número que chama a atenção na pesquisa realizada pelo IBGE é a grande quantidade de mães solteiras. No Maranhão inteiro, essa quantidade passa de 346 mil. “Essa mulher tem um filho e o homem não assume sua responsabilidade. Vivemos em uma sociedade ainda de muitas desigualdades, sobretudo entre homens e mulheres. A mulher não engravida sozinha, mas o homem não está assumindo essa responsabilidade, a paternidade, então ela é duplamente responsabilizada por isso”, afirma Graça Lima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário