segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Anistia Internacional lança campanha sobre o alto índice de homicídios de jovens


A Anistia Internacional lança no domingo (09/11), às 10h, na pista de skate do Aterro do Flamengo (altura do Museu da República), Rio de Janeiro, a campanha Jovem Negro Vivo. A mobilização chama a atenção para o alto número de mortes de jovens no país, em especial entre a juventude negra.
“Além de ser um país com um dos maiores índices de homicídios no mundo, o Brasil está matando mais seus jovens e, entre estes, os negros. Os números são chocantes. Dos 56 mil homicídios que ocorrem por ano, mais da metade são entre os jovens. E dos que morrem, 77% são negros. A indiferença com a qual o tema é tratado na agenda pública nacional é inaceitável. Esteve presente de forma tímida no debate eleitoral, está fora das manchetes dos jornais. Parece que a sociedade brasileira naturalizou esta situação”, afirma Atila Roque, diretor executivo da Anistia Internacional Brasil.
Com a campanha Jovem Negro Vivo, a Anistia Internacional convida todas as pessoas a conhecer e contribuir para mudar esta realidade. Para isso, mobiliza a sociedade para assinar o manifesto “Queremos ver os jovens vivos”, que defende o direito a uma vida livre de violência e preconceito. E ainda pede políticas públicas de segurança, educação, saúde, trabalho, cultura, mobilidade urbana, entre outras, que possam contribuir para o enfrentamento desta realidade.
“A morte violenta não pode ser aceita como destino de tantos jovens. As consequências do preconceito e dos estereótipos negativos associados a estes jovens e aos territórios das favelas e das periferias devem ser amplamente debatidas e repudiadas”, destaca Atila Roque.
Campanha
As peças desenvolvidas para a campanha Jovem Negro Vivo buscam sensibilizar a sociedade brasileira para o alto índice de homicídios no Brasil, o que faz do país um dos mais violentos do mundo. A campanha é uma parceria com a agência de publicidade DM9 Rio.
vídeo da campanha, os infográficos estáticos e o videográfico animado dão um panorama sobre os números da violência no Brasil, comparado a outros países, inclusive, aqueles que vivem conflitos armados. E mostram também como os homicídios vitimam mais os jovens do que a população brasileira em geral.
Os dados são contundentes em mostrar como os homicídios no Brasil têm atingido mais os jovens e, entre eles, os negros. Enquanto a taxa da morte de jovens brancos tem diminuído, a que se refere à morte de jovens negros tem aumentado anualmente.

Lançamento
O lançamento da campanha será no dia 9, em um dia de ativismo e lazer no Aterro do Flamengo, na pista de skate, das 10h às 16h com apresentações culturais e música.
Durante todo o dia haverá exposição interativa com “manequins invisíveis”, criada pelo artista Humberto de Castro, que retrata os jovens que tiveram suas histórias de vida interrompidas ao serem vítimas de homicídio. O DJ Flash, do Baile Black Bom, vai dar o ritmo do movimento.
Às 11h tem início a Batalha pela Vida – O Passinho pela Igualdade, que será um desafio entre grupos de passinho, organizado pelo produtor cultural Julio Ludemir. Ao meio-dia, será a vez do DJ Emílio, da Festa Phunk animar os participantes. Às 13h começa a Disputa de Barbeiros com WL do Corte e Edú do Corte (Corte do Jaca) e às 15h o Dream Team do Passinho encerra a programação.
“Queremos fazer um dia de festa no Aterro, porque apesar da campanha tratar de um tema difícil, a morte dos nossos jovens, queremos valorizar o protagonismo dos jovens em defesa de seus direitos e chamar a atenção para a importância do país criar condições para que parte expressiva da juventude não tenha sua história interrompida pela violência. O destino dos jovens é viver”, ressalta Atila Roque.
Durante o mês de novembro, quando se comemora o Dia da Consciência Negra (20), outros eventos da campanha Jovem Negro Vivo serão realizados em comunidades da cidade do Rio de Janeiro. Em 2015, eventos da campanha acontecerão também em outros estados do país.
Confira o vídeo da campanha Jovem Negro Vivo:


Saiba mais

Nenhum comentário:

Postar um comentário