Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2016

Do luto à luta: não esqueceremos Luana Barbosa dos Reis, morta por PMs em Ribeirão Preto

Imagem
Por , Blog Gorda e Sapatão
Hoje completa 6 dias desde a  morte de Luana Barbosa dos Reis. Ela, mulher lésbica-mãe-preta-periférica, de Ribeirão Preto, interior de São Paulo. Seis dias que sua vida foi roubada por polícias militares da cidade de Ribeirão Preto.  Sete dias que a dor e a indignação em busca de justiça se somaram, tornando combustível de luta para que  morte de Luana não caia no  esquecimento. Há sete dias que começou a ser trilhado o caminho em busca de aliados&reparação à família, em busca de investigação, punição para os assassinos. Não há outra palavra a ser usada que não ASSASSINOS! Polícias militares abordaram Luana na rua, no caminho para levar o filho à um curso, no início da noite. Tudo que eles precisaram foi de uma recusa da parte dela em não permitir que fosse revistada por HOMENS. Vejam, Luana não era HOMEM e sabia do seu direito em exigir  uma policial feminina a revistasse então. Mas se torna um desacato quando a preta reivindica o que é legí…

SOMOS TODAS (DES)IGUAIS -AS MULHERES NEGRAS E O ZIKA VÍRUS

Imagem
*Luciana Brito
Nenhuma de nós sabe ao certo ainda o que é o Zika vírus e muito tem se especulado sobre a associação entre o mosquito e a microcefalia. Do nosso lugar de feministas negras, militantes do movimento de mulheres negras, nosso papel é pensar como os casos de microcefalia e o debate sobre o aborto, assim como os discursos de uma moral feminina, afeta de maneira cruel todas as mulheres, mas principalmente as mulheres negras e pobres.
Algum tempo atrás, um desses programas da TV mostrava o drama das mulheres grávidas. Apavoradas, e com razão, descreviam suas táticas para se proteger do mosquito: repelentes, ar condicionado, roupas que cobriam todo o corpo. Outras, privilegiadas, é certo, abandonavam o país. Outras privilegiadas, no exterior, adiavam a vinda para o Brasil.
Me solidarizo com a agonia destas mulheres, mas penso que o velho racismo, sexismo e desigualdade de classes têm colocado as mulheres brasileiras em lugares distintos, ainda que todas nós estejamos expostas…